Saturday, May 07, 2011

E ALI NA MARGUEIRA O FANTASMA DA LISNAVE

E ali, na Margueira, continua o fantasma da LISNAVE qual monumento à nossa incapacidade de adaptação à mudança que levou ao encerramento do estaleiro há dez anos. Um grande estaleiro com que o País sonhou durante quase um século, muitas décadas, e que foi inaugurado a 24 de Junho de 1967. Nessa data o grande empresário e grande alma da Lisnave que foi José Manuel de Mello referiu, em discurso o seguinte:
"Desde o início que a dimensão traçada para o novo estaleiro da Lisnave visava fundamentalmente o mercado externo. Na verdade, seria completamente impossível que assim não fosse, isto é, que se pudesse contar apenas com o mercado interno, com as construções e reparações da nossa Marinha Mercante e de Pesca, para justificar e tornar rentável este empreendimento. Visou-se, sim,  a participação activa no mercado internacional, designadamente no mercado de reparações da frota mundial de navios-tanques, pois reside aqui a maior vantagem da localização do estaleiro do porto de Lisboa, situado precisamente no cruzamento das principais rotas do tráfego mundial do petróleo. Assim, 90 % dos nossos clientes potenciais serão constituídos por navios estrangeiros. E esse facto caracteriza profundamente a vida da empresa, pois há que servir uma clientela de mentalidade totalmente diferente da nossa e satisfazer-lhe as necessidades." 


Fotografias feitas na tarde de 6 de Maio de 2011.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia.

Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. 

For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. 

Click on the photos to see them enlarged. 

Thanks for your visit and comments. 

Luís Miguel Correia
Post a Comment