Saturday, August 20, 2011

Petição para carreiras RoRo-Pax para os Açores


Uma das petições públicas de temática marítima aberta a assinaturas de aderentes, a decorrer na internet, pretende a implementação de um serviço de passageiros por mar entre o Continente, a Madeira e os Açores. Defendo que as nossas ilhas devem ter este tipo de ligação desde que comecei a publicar artigos de opinião, na Revista de Marinha, em 1980. 

Assinei a petição com o seguinte comentário: Sugiro que em vez de petições os promotores desta ideia: 
1) estudem as condições de mercado com vista a implementar-se uma linha de passageiros e carga RoRo entre o Continente e os Açores; 
2) Caso consigam a viabilização do empreendimento, recomendo que formem uma sociedade anónima e angariem accionistas junto das populações locais. Não concordo com o Estado a fazer de armador (mal) e a subsidiar fantasias à custa dos contribuintes. Portugal só consegue voltar a ter uma presença no mercado de transportes marítimos com empreendedorismo associado a muito trabalho, dinheiro, dinheiro e mais dinheiro...
Quero com isto dizer que a ideia é boa, duvido que nas circunstâncias actuais seja viável, até porque não vejo nenhuma entidade empresarial aberta a encarar a iniciativa em moldes sólidos. Noutros países com componente insular existem companhias de navegação cuja massa accionista são os habitantes da(s) ilha(s)   beneficiada(s) com a iniciativa. Podia-se começar por aí, apesar de a complexidade do empreendimento quanto a mim obrigar à reformulação total dos serviços actuais, com os porta-contentores. Se fosse implementada uma racionalização dos operadores e navios actuais a servir os Açores, e alguma entidade, de preferência privada tivesse abertura para participar na carreira, o investimento seria provavelmente superior a 200 milhões de euros... E tenho muitas dúvidas quanto à rentabilidade da linha, devido à sazonalidade, dispersão da população por 9 ilhas, etc...
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

5 comments:

Farinha said...

Caro Luís Correia.
Gostava de saber o que acha do subsídio à mobilidade marítima entre a Madeira e o Continente para os madeirenses, proposto pelo CDS e aprovado na Assembleia da República?
As viagens são asseguradas regularmente uma vez por semana pela Naviera Armas que além de passageiros transporta carga rodada.
Evidentemente que o subsídio é só para os passageiros madeirenses.
Aguardo!
Obrigado pela assinatura na Petição.
Um abraço
Paulo Farinha

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Caro Farinha,

Sou contrário às políticas que levam à mentalidade de subsidio-dependência. Trata-se de um mal nacional que castrou a nossa mentalidade no sentido inverso da necessidade de empreendedorismo e de iniciativas válidas com reflexos no tecido produtivo.
O subsídio de 30 euros é só para Madeirenses? Isso não descrimina negativamente outros residentes? Vivem num paraíso no meio do Atlântico, deviam era ter um imposto por mais valia territorial, não?
Por mim a verba do subsídio ia para o financiamento de um terceiro submarino...
Voltando aos 30 euros, Farinha, quem tem dinheiro para viajar seja do Funchal para o Continente ou de Lisboa para Viana do Castelo,precisa mesmo dos 30 euros para alguma coisa? Não será tudo isso demagogia?
E depois são as empresas que aguentam tudo e mais alguma coisa com uma carga fiscal danada. Sabe quanto me custa pagar os impostos todos que nunca acabam????
Abraço Amigo do

LMC

Farinha said...

Caro Luís Correia

Vou confronta-lo com o seguinte.
O subsídio de 30:00€ é só para madeirenses, seja de avião ou de barco no caso da Madeira.
Nos Açores o subsídio de mobilidade também existe, não sei os montantes.
Por exemplo um passageiro canariano nas Canárias que embarque no ferry da ARMAS com destino a Huelva-Espanha, acomodado em poltrona paga com subsídio apenas 40:00€, sem subsídio 80:00, portanto o subsídio é de 50%.
Um passageiro madeirense que viaje para o Continente no ferry ARMAS acomodado em poltrona numa viajem mais curta do que para Huelva, paga 85:00€, o subsídio de mobilidade recentemente aprovado mas que ainda não é praticado é de 30:00€, portanto com subsídio fica em 55:00€, em percentagem 35%.
Quanto a paraíso, vai me desculpar mas é nas Canárias, sempre, ou sejam, ilhas afortunadas.
Portugal após o 25 de Abril, orientado por Mário Soares, abandonou Timor, e entregou indevidamente Cabo Verde, e São Tomé e Príncipe. Este político é o responsável do desmoronamento de Portugal, ainda está a tempo de lhe pedir contas caro amigo Luís Correia.
Restam as ilhas da Madeira e dos Açores que de modo algum se tratam de paraísos, pode crer! e acredite que são uma mais valia para Portugal.
Um abraço
Paulo Farinha

CAP CRÉUS said...

Ro-Ro porquê?
Para rentabilizar?
A minha sincera opinião é que quanto menos gente a conspurcar, melhor.
Já basta o que por lá vai, e os próprios Açorianos a dar cabo daquilo.

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Este mundo está cheio de esquemas...

O que vale é que há sempre a possibilidade de o último a ir embora apagar a luz...