Tuesday, December 06, 2011

ESTALEIROS NAVAIS DO MONDEGO

O encerramento dos Estaleiros Navais do Mondego foi decretado ontem, dia 5 de Dezembro de 2011, por um tribunal "face à desistência do Plano de Viabilidade", conforme se lê na notícia do jornal "O Figueirense" que reproduzimos. (Carregar sobre a imagem para a ampliar e ter melhor leitura).
Por entre cruzadas múltiplas de regeneração dos mares lusos prossegue alegremente a desmaritimização efectiva de Portugal e da Europa com mais um estaleiro português fechado: o último da Figueira da Foz, pois o mesmo aconteceu anteriormente à Foznave.
A Indústria Naval, nomeadamente no que se refere à construção metálica, demorou décadas a desenvolver e a afirmar-se em Portugal, em especial a partir da década de 1930, quando os estaleiros do Porto de Lisboa foram integrados no Grupo CUF (1937), se passou o Arsenal de Marinha para o Alfeite (1939) e se formaram estaleiros navais em Aveiro (São Jacinto), Figueira da Foz e Viana do Castelo. 
Dos Estaleiros Navais do Mondego saíram muitas dezenas de navios para as marinhas de pesca, guerra e comércio, principalmente para Portugal. Esta empresa chegou a ser considerada um estaleiro de vanguarda em termos de desenvolvimento de projectos e construção, não só no que se refere a navios de pesca, mas também rebocadores, dragas, etc. Na década de 1990 especializou-se na construção de navios em alumínio, graças à encomenda de quatro catamarãs por parte da Transtejo em colaboração com estaleiros ingleses.
Porque é que a Indústria Naval está a fechar as portas em Portugal e na Europa? As respostas devem ser várias mas em síntese o fenómeno resulta da falta de competitividade local face à Globalização e à incapacidade de continuarmos a inovar como alternativa à construção naval barata nos países emergentes. A crise do momento já fez compreender que o desmantelamento da capacidade industrial foi um erro grave em Portugal. Com o desaparecimento dos Estaleiros Navais do Mondego perde-se mais um desses meios e perde-se (já estava perdido há tempos, com a redução de actividade do estaleiro nos tempos mais recentes) conhecimento prático. E assim prossegue alegremente a desmaritimização efectiva de Portugal.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia
Post a Comment