Friday, February 15, 2013

A Doca cheia de navios...

Era assim que eu gostava de ver a Doca de Alcântara: cheia de navios a sério, em plena actividade comercial. Esta fotografia que podemos datar como tendo sido tirada por volta de 1962 - seguramente entre 1962 e 1965 - apresenta a doca vista a partir do cais norte, tirada de cima de uma grua. 
Em primeiro plano vê-se o castelo da proa de um dos paquetes mistos da Sociedade Geral (ALFREDO DA SILVA, MANUEL ALFREDO ou RITA MARIA, que o ANA MAFALDA nunca teve castelo à proa), tendo pela sua proa um cargueiro da companhia alemã OPDR e logo a seguir um dos paquetes da Colonial, o PÁTRIA ou o seu irmão IMPÉRIO. 
Em reparação junto à ponte giratória está atracado um dos navios-tanques da classe ALVELOS da SOPONATA enquanto no cais sul se podem observar atracados de braço dado dois cargueiros da Companhia Colonial, o LOBITO e o LUGELA, distinguindo-se à popa destes o MADEIRENSE de 1962 e por fora da doca, atracado ao cais da Rocha, o paquete italiano SATURNIA, que fazia a carreira Mediterrâneo - Nova Iorque, com escala em Lisboa e nos Açores.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

7 comments:

Anonymous said...

Mais uma grande foto.

Ricardo Natias

Luis Miguel Correia said...

Obrigado, Ricardo, de facto estas imagens lavam-me a Alma...

CAP CRÉUS said...

Aquilo agora mete dó...Parece que cada vez está pior.

Luis Miguel Correia said...

Cap Creus,

Concordo consigo, é um desperdício...

Elvio Drumond Leão said...

Bela foto, na altura em que Portugal tinha uma frota invejável. Tempos que ja la vão. Que saudades do (meu) Madeirense.
Abraço
Elvio

Luís Henriques said...

Bons tempos... com um "colorido" muito interessante. Suponho que uma grande percentagem do tráfego fosse de/para as colónias. Faz-me lembrar um pouco os Açores que, durante décadas têm vivido literalmente de costas para o mar. Infelizmente, só muito recentemente é que têm mudado as políticas relativamente ao potencial do mar na dinâmica das ilhas.

Cumprimentos,
L.H.

Joaquim Rodrigues said...

belas fotos da doca espanhola dos bons velhos tempos, lembro-me muito bem do grande movimento e da vida que esta zona tinha.
muito obrigado por este trabalho Joaquim Elias Rodrigues