Saturday, November 01, 2014

Chegada do FUNCHAL a 30 de Outubro


Com a chegada a Lisboa na manhã de 30 de Outubro, o Paquete FUNCHAL concluiu o primeiro ano de actividade desde que foi remodelado em 2013. O navio terminou no Tejo o segundo de dois cruzeiros em regime de afretamento pela companhia britânica Cruise & Maritime Voyages, efectuados de 6 a 31 de Outubro, em substituição do DISCOVERY, que está a fazer a sua derradeira viagem a caminho da sucata com o nome AMEN.

O cruzeiro que agora terminou em Lisboa foi iniciado em Liverpool a 22 de Outubro e incluiu escalas no Funchal, em Portimão e em Lisboa, onde a maioria dos passageiros permaneceu a bordo só desembarcando a 31 de Outubro. 
O FUNCHAL vai agora ser submetido a um período de manutenção técnica e a 28 de Dezembro próximo larga de Lisboa no cruzeiro de Fim de Ano à Madeira, Porto Santo e Portimão.
As fotografias que apresentamos fazem parte de um conjunto tiradas à chegada, do Cais da Rocha, com o navio a fazer a tradicional manobra de atracação à vazante, com a presença do rebocador SVITZER FUNCHAL, mas sem ter sido necessário passar o cabo de reboque, com o FUNCHAL a utilizar o novo hélice de proa.
Já assisti a muitas centenas de chegadas do FUNCHAL a Lisboa,  na maior parte dos casos atracou no Cais da Rocha, que na fase final da epopeia dos Paquetes Portugueses, que o FUNCHAL integrou em Outubro de 1961, o Cais da Rocha do Conde de Óbidos era utilizado por duas das quatro companhias de navegação nacionais que operavam com navios de passageiros.
Uma era a Companhia Colonial de Navegação, cujos cais privativos, onde havia sempre alguns dos navios da frota, eram adjacentes para jusante da Gare Marítima da Rocha, e dentro da Doca de Alcântara, junto aos edifícios da CCN, com serviços técnicos, de armamento e armazéns.
A outra era a Empresa Insulana de Navegação, cujos paquetes FUNCHAL e ANGRA DO HEROÍSMO normalmente utilizavam a estação marítima da Rocha após o que mudavam para dentro da Doca de Alcântara, atracando ao cais sul logo à entrada junto à ponte giratória.
Os paquetes da Companhia Nacional de Navegação e da Sociedade Geral atracavam habitualmente à Estação Marítima de Alcântara, mas de vez em quando havia excepções, ainda que raras, com paquetes da CNN e SG a atracarem na Rocha ou da EIN e CCN a utilizarem Alcântara. 
Ver o FUNCHAL repetir uma encenação comum a tantos navios abatidos precocemente na década de 1970 é sempre muito gratificante para mim, que vivia perto do cais e sempre que possível ia ver as chegadas e saídas de navios ao cais, era melhor que uma ida ao cinema...
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia 
Post a Comment