Saturday, July 01, 2017

Paquete FRANCE de 1962

Um dos mais notáveis navios de passageiros do século XX, o paquete FRANCE (1962-1974) povoou o meu imaginário de criança habituada a navios e ao ambiente portuário em Lisboa e nas Ilhas. Em 1962, quando entrou ao serviço, o FRANCE era o expoente máximo da construção naval e um símbolo do renascimento da França após a tragédia de 1940. Este cartaz, editado pela French Line / Cie Gle Transatlantique, de Paris, ainda na década de 1950, mostrava já o perfil inicial do FRANCE, então em fase de projecto, destinado a substituir os navios ILE DE FRANCE e LIBERTÉ, o que efectivamente aconteceu com enorme brilho e sucesso, ainda que de curta duração, pois a aviação conquistou tudo, no Atlântico Norte e mais tarde noutras rotas de longo curso, tornando estes navios modernos obsoletos antes do tempo e geradores de enormes prejuízos. A carreira do "Paquebot FRANCE" na linha Le Havre - New York durou 12 escassos anos e terminou de forma inglória em Setembro de 1974 com a tripulação amotinada.
Como muito boas almas por esse mundo, o FRANCE teria uma segunda oportunidade de glória, ao ser adquirido em 1979 por um armador norueguês que o transformou no navio de cruzeiros NORWAY, o primeiro gigante das Caraíbas, percursor de toda a actual geração de superpaquetes gigantes.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho, se descarregar imagens para uso pessoal sugere-se que contribua para a manutenção deste espaço fazendo um donativo via Paypal, sugerindo-se €1,00 por imagem retirada. Utilização comercial ou para fins lucrativos não permitida (ver coluna ao lado) / No piracy, please. If photos are downloaded for personal use we suggest that a small contribution via Paypal (€1,00 per image or more). Photos downloaded for commercial or other profit making uses are not allowed. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia
Post a Comment