Wednesday, July 02, 2008

Navio bacalhoeiro SÃO RUY

Bacalhoeiro SÃO RUY da Empresa de Pesca de Viana, fotografado em Lisboa em 1960, fundeado frente à Junqueira antes de largar para a campanha de pesca.
Os ilustres entendidos nestas lides da pesca do bacalhau estão convidados a deixar as suas histórias sobre este navio de construção lisboeta... Prometo ir metendo mais imagens antigas da pesca...
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

4 comments:

fangueiro.antonio said...

Boa noite.

Vá pois metendo mais fotos belíssimas sobre navios bacalhoeiros, pois todos os dias visito o seu blogue em busca de mais surpresas dessas.

Atentamente,
www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt

Ricardo Matias said...

Grande foto esta do São Ruy, não datada, como quase sempre, mas Cristo-Rei acabado e sem sinal da ponte sobre o Tejo coloca-a, no final dos anos cinquenta , início dos sessenta.
Este navio à semelhança dos arrastões Alvaro Martins Homem e João Corte Real, durou que se fartou, foi dos primeiros a entrar ao serviço e durou até ao fim da pesca do bacalhau. Este navio içava um pano latino em cada um dos seus altos mastros e foram os primeiros navio-motor de pesca à linha juntamente com o Santa Maria Madelena, ambos da Empresa de Pesca de Viana. depois voltou-se aos lugres.

Luis Filipe Morazzo said...

Caro amigo LMC

O “S. Ruy”, pertenceu como deves saber, a uma classe de quatro bons navios, todos eles construídos nos estaleiros da CUF em Lisboa, a partir de 1939, meados dos anos 40. Os cascos construídos totalmente em aço, apresentavam um comprimento entre perpendiculares a rondarem os 62m, com cerca de 11m de boca, um pontal de 5,10m, com um peso bruto na ordem das 1.043 toneladas, possuíam câmaras frigoríficas e eram movidos por motores “Sulzer” com uma potência na ordem dos 550HP.
Dois desses navios, o “S. Macário” e o “Costeiro Terceiro”, comprados naquela altura pela empresa Sociedade Geral, prestaram durante quase 40 anos, um serviço inestimável, não só à nossa marinha mercante, como ao próprio país. O “S.Ruy”, devido às suas boas características, especialmente a sua sólida construção, em 1970, foi um dos nove navios de pesca à linha, transformados para a pesca de emalhar, o que possibilitou aumentar a sua longevidade, até à década de 90. Acredito, que são vários os factores, a poderem intervir na boa exploração dos navios, nomeadamente: tripulações competentes, alguma sorte, mas mais em particular, a boa qualidade da construção dos seus cascos. Tendo como excepção à regra, o infeliz “Santa Maria Madalena”, que a 11.8.59, à saída do porto de St John, na Terra Nova, naufragou devido a encalhe, todos os restantes navios da classe, superaram em muito, a média de longevidade de um navio mercante (25-30 anos).A boa construção naval portuguesa, foi seguramente a maior culpada deste sucesso.

Saudações marinheiras

Luis Filipe Morazzo

pierre said...

Eu vi o film de Francisco Mansso e Oscar Cruz "Terra Nova Mar Velho" onde pude ver o Sao Ruy e ouvir uma cançao dum pescador desse barco (Geraldo Caçoilo). Sera possivel de ter o seu contacto a fim de obter a letra completa dessa cançao que fala do Sao Ruy ?
Obrigado e atentamente
Pierre Pichard