Monday, April 30, 2012

QUEREMOS VOLTAR AO MAR?

Preocupados com a situação e futuro do nosso País, não podemos deixar de tal vos manifestar, em face do que ultimamente e em especial no dia de hoje se passou com nosso futebol.
Ver muita gente de nosso povo, com quase novecentos anos de existência como nação, ao longo dos últimos dias, inquieta e dar profunda atenção com a entrada (parece que foi uma entrada coxa) ou não, em campo, da equipa do Leiria. Os médias de páginas e ecrans cheios, com polémicas de longas horas sobre a pontuação dos clubes. As gentes das finanças temerosas se as competições futebolísticas param, e os políticos assustados com possíveis agitações públicas, não podíamos deixar de nos preocupar.
Ver um país, que foi dito de marinheiros, e se solidificou por via do mundo marítimo e ramificou suas geneses do falar e do espiritual pelos cinco continentes do globo,
ficar reduzido a pouco mais de 19 mil marinheiros profissionais (Armada, Comércio e Pesca) mas tendo já atingido o registo oficial de mais de 22 mil jogadores de bola profissionais.
Ver um país que construiu alguns dos maiores estádios de futebol deste globo e ainda não construiu um terminal portuário para exportar os seus minérios que tanto se aguarda exportar.
Ver um país que se inunda de escolas de formação de jogadores e arrasa a melhor Escola de Pesca do Mundo.
Ver um pais que constrói as melhores auto-estradas para se ligar aos campos de futebol e ainda não construiu um quilómetro de novas vias férreas europeias para seus portos.
Ver um país a delirar com o desempenho de seus jogadores em clubes estrangeiros e aplaude delirantemente seus clubes nacionais repletos de estrangeiros.
 Ver um país a reduzir e racionar o consumo de água nos seus laboratórios e instalações de biologia marinha e gasta milhões de metros cúbicos em regas de relvados.
Ver um país onde bastas multidões correm nos fins da semana para os campos de futebol e seus portos e baías ficam vazias de velas brancas desportivas.
Ver um país a construir largas dezenas de complexos faraónicos de todos os motivos
e deixar definhar ou extinguir seus estaleiros navais.
Tudo isto não pode deixar de nos questionar se de facto é assim que pretendemos de novo saltar nas ondas do mar ou vamos continuar a dinamizar o saltitar sobre os relvados.
Com o tão minguado dinheiro que temos os dois ”exercícios” são impossíveis de realizar.
Eu vos envio o meu muito saudar
Joaquim Ferreira da Silva - Capitão da Marinha Mercante
Imagens / Images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia
Post a Comment