Wednesday, July 04, 2012

Companhia Colonial constituída há 90 anos

Os primeiros dias de Julho de 1922 foram de grande preocupação para a administração da Companhia Nacional de Navegação: ao escritório desta empresa chegou um telegrama de Angola a anunciar a formação de uma nova concorrente denominada Companhia Colonial de Navegação. Acabava o monopólio da Nacional nas carreiras da África Portuguesa.
Fundada no Lobito no dia 3 de Julho de 1922, a Companhia Colonial de Navegação iniciou logo a sua actividade com os navios GANDA (I) e GUINÉ (I), adquiridos no ano anterior e transferidos para a CCN. Começou por fazer viagens de Angola para a Metrópole, alargando depois a sua actividade ao Norte da Europa e a Cabo Verde e Guiné. A frota foi crescendo com a compra de diversos navios aos Transportes Marítimos do Estado e a empresas estrangeiras. Com os paquetes JOÃO BELO, COLONIAL e MOUZINHO iniciou em 1930 a carreira da África Oriental, mais uma vez em concorrência com a Nacional. Ainda nesse ano comprou à Empresa Insulana o paquete SAN MIGUEL, que passou a ser o segundo GUINÉ. Durante a Segunda Guerra Mundial as actividades da Colonial cresceram e a frota foi ampliada com o paquete de luxo SERPA PINTO e diversos cargueiros incluindo o LUGELA (I), primeiro navio mercante português equipado com turbinas a vapor. No pós-guerra a CCN renovou a frota e alargou a actividade com novas carreiras para a América do Sul e Central, a primeira iniciada em 1940 e a segunda em 1953. Neste período a companhia mandou construir seis navios de passageiros, incluindo os navios VERA CRUZ (1952-1973), SANTA MARIA (1953-1973) e INFANTE DOM HENRIQUE (1961-1977) para além de 11 navios de carga e diversas unidades auxiliares. 
A 3 de Julho de 1972 a Colonial comemorou 50 anos de existência ao mesmo tempo que expandia a frota de navios de carga e planeava a redução da frota de paquetes. Entretanto o Governo pressionava a companhia no sentido da fusão com a Empresa Insulana, o que veio a acontecer a 4 de Fevereiro de 1974 dando origem à CTM - Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos. 
Em praticamente 52 anos de actividade a Companhia Colonial de Navegação integrou 50 navios na sua frota de longo curso e cabotagem e cerca de 50 outras unidades auxiliares. Vou uma grande empresa que deixou saudades...
Mais informações sobre a CCN e os navios respectivos por aqui...
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

4 comments:

Luis Filipe Morazzo said...

Caro L.M.

No logótipo da CCN onde colocastes o nome "Sameiro", deves ter trocado com "Sena" creio eu?

Um abraço amigo

Luis Filipe Morazzo

Luis Filipe Morazzo said...

Caro L.M.

No logótipo da CCN onde colocastes o nome "Sameiro", deves ter trocado com "Sena" creio eu?

Um abraço amigo

Luis Filipe Morazzo

Luis Miguel Correia said...

Luís Filipe,

Obrigado pela visita e interesse. Não acrescentei nada, esta imagem é original, trata-se da contracapa do livro dos 25 anos da CCN, publicado em 1947. O SAMEIRO foi encomendado e construído para a Colonial, tendo passado para a Soponata após entrega pois entretanto a SOPONATA foi criada em Junho de 1947 e uma das entidades fundadoras era precisamente a CCN. Ver o meu livro SOPONATA 194-1997.
Abraço

LMC

Luis Filipe Morazzo said...

Sempre a aprender

Aquele abraço

LFM