Tuesday, August 14, 2012

Portos parados

Lisboa, 14 Ago (Lusa) - Os portos de Lisboa, Aveiro, Figueira da Foz e Setúbal estão "completamente parados", disse hoje o vice-presidente da Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários, o que "demonstra o repúdio dos trabalhadores" portuários pelas alterações legislativas propostas pela Governo.
Num primeiro balanço da greve convocada pela Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários (Fesmarpor), o vice-presidente Vítor Dias adiantou à Lusa que a adesão nos portos de Lisboa, Setúbal, Figueira da Foz e Aveiro se situa nos 99 por cento, com apenas um trabalhador afecto ao sindicato que convocou o protesto a não aderir.
Os números, acrescentou, estão "dentro do esperado", uma vez que as greves no sector portuário costumam ter "uma adesão muito forte".
"A adesão está a mostrar o repúdio dos trabalhadores perante o projecto-lei", afirmou Vítor Dias.
Os trabalhadores portuários portugueses começaram à meia-noite uma greve contra a revisão do regime jurídico do trabalho portuário, que vai prolongar-se até às 08:00 de quarta-feira.
O vice-presidente da Confederação dos Sindicatos Marítimos e Portuários (Fesmarpor), Vítor Dias, explicou à Lusa que, actualmente, os trabalhadores portuários executam todo o tipo de tarefas até ao momento em que a carga embarca no navio. Com a reforma, o Governo quer que os trabalhadores portuários façam apenas o trabalho a bordo.
"O que o Governo pretende é deixar sem ocupação cerca de 50 por cento dos trabalhadores portuários e ir buscar trabalhadores sem qualquer tipo de qualificação" para desempenhar as restantes tarefas, acrescentou o dirigente sindical. IMA (CSJ) Lusa/fim 
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia
Post a Comment