Sunday, April 20, 2014

Cruzeiro da Páscoa do INFANTE DOM HENRIQUE

"O INFANTE DOM HENRIQUE fez cruzeiros de Fim de Ano à Madeira em 1973, 1974 e 1975 e de 5 a 14-04-1974 fez um cruzeiro da Páscoa ao Mediterrâneo, com partida e chegada a Lisboa e escalas em Nápoles, Génova, Cannes e Gibraltar" - Luís Miguel Correia in livro Companhia Colonial de Navegação 1922-1974 (em preparação).
Assistir à chegada do FUNCHAL ontem, o qual concluiu em Lisboa o "Cruzeiro da Páscoa" fez-me recordar outra chegada de um cruzeiro da Páscoa no mesmo local, a Gare Marítima da Rocha, há 40 anos, em vésperas de consolidação do processo de Desmaritimização. 
O protagonista foi então o saudoso paquete INFANTE DOM HENRIQUE, então o nosso maior navio de passageiros e os 800 passageiros que esgotaram a lotação do navio reduzida para este cruzeiro. 
Em 1974 a frota de paquetes portugueses estava já muito reduzida, dos 26 paquetes operacionais em 1966 só restavam o INFANTE, o PRÍNCIPE PERFEITO (que à data estava imobilizado em Lisboa), o FUNCHAL, o UIGE, o NIASSA, o ANGRA DO HEROÍSMO e o IMPÉRIO (ambos já vendidos para a sucata), o TIMOR (que seria vendido nesse ano para Singapura), o RITA MARIA, e o PONTA DELGADA. 
O INFANTE DOM HENRIQUE fazia essencialmente a carreira de Angola e a Companhia Colonial procurava organizar alguns cruzeiros no mercado português no sentido de melhorar a exploração comercial deste magnífico paquete, com cada vez menos passageiros a utilizarem as linhas de África.
Embora o INFANTE já pertencesse à CTM desde 4 de Fevereiro de 1974, fez o cruzeiro da Páscoa com as cores e a bandeira da CCN. Assisti à partida e chegada deste cruzeiro do INFANTE, como então fazia sempre que possível no que tocava às saídas e chegadas dos navios de passageiros portugueses, em especial o SANTA MARIA, abatido precocemente um ano antes. Estava previsto um outro grande cruzeiro do INFANTE no Verão de 1974, que devido às alterações vividas depois com a mudança de regime a 25 de Abril acabou por não se realizar, o mesmo acontecendo a dois grandes cruzeiros previstos para o Verão de 1975 à União Soviética, em pleno PREC, um seria um cruzeiro ao Báltico até Leninegrado, o outro faria todo o Mediterrâneo até Odessa. A necessidade de evacuar militares e civis de Angola e Moçambique nesse Verão quente acabou por levar ao cancelamento destes cruzeiros.
Tanto a largada como a chegada do INFANTE no cruzeiro da Páscoa de 1974 foram efectuadas na Rocha, então com um ambiente muito mais marítimo, cheio de gente, no cais e na varanda, com a estação marítima aberta a toda agente e muitos navios à volta. Outros tempos, o que torna ainda mais notável a chegada do FUNCHAL, ontem, a Lisboa vindo do cruzeiro da Páscoa de 2014, organizado e operado pela nova empresa Portuscale. O FUNCHAL foi contemporâneo do INFANTE DOM HENRIQUE, entrou ao serviço um mês depois do INFANTE, em Novembro de 1961 e a sua sobrevivência e reconstrução, o ano passado, deve-se a diversos factores, com destaque para a iniciativa e energia do armador Rui Alegre.
Fotografias: De cima para baixo, o INFANTE DOM HENRIQUE atracado ao cais da Rocha em dia de partida para a África Oriental; o FUNCHAL atracado à Rocha, ontem, no regresso do Cruzeiro da Páscoa 2014, o cartaz do cruzeiro deste ano.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia
Post a Comment