Sunday, July 20, 2014

Um livro precioso




Um dia, teria eu os meus 13 anos, creio que em 1970, o meu Pai chegou a casa com um exemplar deste livro para mim. Já nessa altura, como hoje, dava tudo por um bom livro, e se tivesse a ver com os navios e ou o mar, melhor. Foi um dos melhores presentes do meu Pai, um livro para toda a vida.

O ÁLBUM DOS NAVIOS DA MARINHA MERCANTE PORTUGUESA foi publicado em 1958 pela Junta Nacional da Marinha Mercante, o organismo de coordenação económica do Estado Novo para a Marinha Mercante, e apresentava todos os navios que então integravam a frota portuguesa, com fotografias e as características técnicas principais de cada unidade. 
Um livro simples e bem feito, para a época, como era apanágio das publicações técnicas da Junta, de que ainda hoje me socorro com frequência para investigação ou puro deleite de leitura.
O meu exemplar fora adquirido por 10 escudos numa livraria da Calçada do Combro, ao Chiado, que tinha uma montra cheia em grande promoção. Provavelmente a Junta entendeu desfazer-se do stock original em plena primavera marcelista...

Hoje é um livro raro, que continua a oferecer da mesma forma simples inicial, uma boa visão do que era a nossa frota mercante no final dos anos cinquenta. Sem propaganda política ou de regime, um testemunho simples dos navios que então faziam toda uma frota de que muita gente se orgulhava.
Os navios desapareceram há muito, alguns precocemente e mal aproveitados nas suas potencialidades, ficou este documento. Há um exemplar à venda aqui...
Imagem de uma das páginas do ÁLBUM, do navio de carga a vapor SOFALA, da Companhia Nacional de Navegação, então o maior cargueiro português, com os quatro mastros e o perfil único a trair a origem alemã, pois foi adquirido em 1943 à companhia Norddeutscher Lloyd, de Bremen e navegou até 1968.
Texto e imagens /Text and images copyright L.M.Correia. Favor não piratear. Respeite o meu trabalho / No piracy, please. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia  

6 comments:

Luis Filipe Morazzo said...

Caro Luis

Agora entendo a razão da grave omissão do navio “28 de Maio”, na tua famosa bíblia, “Paquetes Portugueses”. Foi quando iniciastes o estudo desta temática, nos anos 70, a partir de um livro que, embora seja um clássico, “Álbum dos Navios da Marinha Mercante Portuguesa”, ficámos agora a saber que enferma de um grave erro, pois classifica este navio como um simples cargueiro, ao invés de o ter qualificado como paquete. Como sabemos este navio, foi construído na Holanda, em 1929, apresentava uma tonelagem bruta da ordem das 1148t. Serviu a marinha mercante nacional, a partir de 1934. Notabilizou-se especialmente na cabotagem em Cabo Verde. Tinha acomodações para 22 passageiros em cabines próprias. Foi vendido para Angola, em 1956, depois de ter sido substituído pela recente aquisição, “Santo Antão”. Acabou os seus dias num naufrágio nas costas da Namíbia, em 11-11-66.

Saudações marinheiras

Luis Miguel Correia said...

Grande Luisão... Sempre em forma a defender o 29 de Maio.... Já pensaste se este belo paquete tivesse sido preservado e hoje pertencesse à PORTUSCALE?
Entretanto tenho vindo a aprender umas coisitas acerca do vapor 28 do Cinco, olha que quem o substituiu na Guiné foi outro navio, aí posicionado pelo Ministério do Ultramar. De que navio falo? O SANTO ANTÃO é outra história, posterior..

Anonymous said...

Se calhar foi o Costeiro Quarto em 1953?

Luis Miguel Correia said...

Não foi COSTEIRO nenhum, isso foi muito depois e não era QUARTO...

Luis Filipe Morazzo said...

Claro que sabemos que os costeiros foram até ao 3º e que em 1953, este último, andou em serviço de cabotagem entre aquelas ilhas, em substituição do PAQUETE "28 de Maio" após a sua venda para Angola. O S.Macário também por lá passou

Obs: Fiquei satisfeito com a compra do "Atlântida" pela Douro Azul

Saudações marinheiras

Luis Filipe Morazzo said...

Na década de 40 e 50 destacaram-se mais dois outros navios na cabotagem nestas ilhas, o lugre "Senhora das Areias" e o rebocador "Infante d.Henrique". Agora gostaria de saber qual o navio mistério que tu escondes