Friday, July 18, 2014

SÍMBOLOS DE DESMARITIMIZAÇÃO NACIONAL





Imagens do antigo bacalhoeiro CAPITÃO FERREIRA, fotografado no Talaminho, onde permaneceu diversos anos neste estado deprimente, destruído pelo fogo e pelo esquecimento.
O CAPITÃO FERREIRA foi construído em 1945, de madeira, na Figueira da Foz, para a Atlântica Companhia Portuguesa de Pesca. Ainda o fotografei fundeado na Junqueira, pintado de branco preparado para largar para a Terra Nova.
Mais que um navio destruído, o CAPITÃO FERREIRA tornou-se na fase final um símbolo do analfabetismo marítimo português e da magnífica OBRA de DESMARITIMIZAÇÃO NACIONAL que vem caracterizando a nossa vida social desde por volta de 1975, quando se passou a olhar para os navios com velado desinteresse. O CAPITÃO FERREIRA acabou por ser removido e desmantelado durante uma operação de limpeza promovida pela APL.
Text and images copyright L.M.Correia. For other posts and images, check our archive at the right column of the main page. Click on the photos to see them enlarged. Thanks for your visit and comments. Luís Miguel Correia

10 comments:

Sailor Girl said...

O Amigo João David não pode ver isto...

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Infelizmente é uma verdade nua e crua e sei que ela já esteve no local...

Sailor Girl said...

SAI DESSA AMARGURA E VAI MAS É AO ATLÂNTICO AZUL BOMBAR UM POUCO!!!!
AMANHÃ É FERIADO!!!!! GO AHEAD AND... JUMP!!!!!!

Anonymous said...

Estas imagens provocam arrepios!JC.

Sailor Girl said...

A mim, que as vi ao vivo, provocaram-me vómitos. Foi uma experiência inesquecível. Nem queria acreditar.

Mage And George said...

My translation abilities are poor, but the photographs are compelling.

CAP CRÉUS said...

Depois de ver esta sequência de imagens, fiquei ainda com mais certeza de que somos uns tristes.
Somos só show off!
Faz-me mal ver estes navios, assim ao abandono.
O Museu de Marinha não pode adquirir a lancha dos pilotos?
O cacilheiro não poder fazer passeios turisticos?
O bacalhoeiro...bem esse é melhor esquecer. Já era mesmo :-(
Também me recordo dos manos Galp!
Era vê-los passar no tejo, da janela da casa dos meus avós!

Velas do Tejo said...

Na realidade o cacilheiro foi comprado por uma empresa de eventos turisticos com o objectivo de converter em restaurante. Mas a burocracia foi mais demorada que o tempo de vida de da empresa.

Por muitos projectos interessantes, viáveis, vendáveis, etc... tentem dobrar o cabo das tromentas das instituições portuguesas!... A título de exemplo, hoje em dia, uma licença maritimo-turistica - meio viável de preservação de património - demora em média 4 dolorosos anos a ser emitida.

Vivo a escaços 1500m do local onde foram tiradas essas fotografias, da janela da minha casa, todos os dias vejo os sapais... cada vez menos navegaveis, com cada vez mais embarcações abandonadas - algumas até dentro do canal de navegação - moinhos de maré a ruirem, as instalações da seca do bacalhau da Atlândida cada vez mais destruídas... e uma câmara municipal a investir em stand's carissímos na FIL (expo turismo, imobiliário, etc) apregoando projectos turísticos para a baía, sobre os quais, passados dois anos, nem sequer abriu concurso para propostas de concessão. No entantanto lá vai vetando e boicotando projectos privados que timidamente tendem a surgir.

É a gestão pública no seu melhor!

A VER NAVIOS said...

Meu querido navio.
A Sailor Girl tem razão.
Até as lágrimas me saltaram.
Não consigo fazer comentários.

BLUE MOON I said...

Meu querido navio...
Tb eu João,estive lá no Talaminho, ha uns bons 12 anitos, a despedir-me .
O Sr. Cap. "Zé Manel" e este navio, foram 2 GRANDES AMIGOS. Juntos vencemos mares do tamanho do mundo. E voltámos.
Todos somos responsáveis pelo estado desta nação.
Elegemos quem queremos.
Assistimos a esta lenta agonia de braços cruzados, como carpideiras sob contrato.
Assim vai a desmaritimização.